Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quem Quer Bolo?

Experiências na Cozinha e Não Só ;)

Quem Quer Bolo?

Experiências na Cozinha e Não Só ;)

Broas Castelares

B74E7E24-DBFC-4CF8-B063-A9F730EE010F.jpeg

E cá estão a minhas queridas Broas Castelares. Sou grande fã de broas e todos os anos comprava para ter em casa. Acontece que este ano com a aquisição da Bimby, vi várias receitas de broas e decidi experimentar e fazer em casa. Só vos digo que me senti enganada estes anos todos!! Em comparação com estas que fiz em casa, as de compra são uma desilusão, pelo menos na minha opinião e na da malta lá de casa. Demora algum tempo a fazer, mas eu acho que vale todo o tempo e passos que se têm de fazer. Esta receita retirei do livro Doces de Natal da Cookidoo. Vou tentar explicar como se faz sem usar a Bimby. Ralam casca de laranja e de limão e juntam a farinha de amêndoa. Cozem a batata doce. Quando esta estiver cozida passam-na a puré e voltam a colocar ao lume com metade do açúcar até este derreter completamente. Retiram do lume e adicionam o resto do açúcar, a farinha de amêndoa com as raspas dos citrinos, o mel, a farinha sem fermento, a farinha de milho e os ovos e mexem tudo muito bem. Agora é dar forma às broas. Eu utilizei aquela técnica das colheres utilizada para, por exemplo, os patéis de bacalhau. Depois é pincelá-las com gema de ovo e forno. Eu já nem espero que arrefeçam. Começo logo a provar para ver se estão boas 😝 E cá está mais uma coisa que já não me apanham a comprar!! O que se quer são coisas boas e saborosas, com poucos corantes e conservantes!!

Um Amor na Cornualha, de Liz Fenwick

image.jpeg

Eu não sou muito de livros nhó nhós e muito romance e muito amor e muitas tragédias. Este livro é impecável na medida que não tem nada disso. Ou melhor, tem mas nada de exagerado. A Judith fugiu do seu casamento e foi-se refugiar junto da madrinha em Londres, mas esta arranja-lhe um trabalho na bela Cornualha e é aqui que tudo vai acontecer. Ela vai trabalhar para um escritor que adora, Petroc, numa quinta maravilhosa, Pengarroc, com uma paisagem hiptonizante e um mistério que envolve um tesouro muito valioso. Até que aparece Tristan, o filho de Petroc, que está decidido a se desfazer de Pengarroc, mas Judith vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que isso não aconteça. E no meio de tudo isto o noivo abandonado no altar vai voltar para conquistar a sua noiva. É um livro muito leve com uma história muito gira e com um final feliz. Só boas razões para o ler 😊

Imagem Retirada de:https://www.leyaonline.com/fotos/produtos/500_9789897261305_um_amor_na_cornualha.jpg

Ainda em 2017...

Deu-se (para mim) uma tragédia!! Deixei cair o meu Kobo e o ecrã foi à vida 😭 Eu nem queria acreditar no que tinha acontecido!! De início ainda ligava, apesar de ter uma espécie de moldura à volta, até que uns dias depois deixou simplesmente de dar. O ecrã ficou bloqueado e não passou dali. Ele está impecável e a funcionar, simplesmente não há ecrã, o que tendo em conta que é para ler convinha que tivesse o ecrã a trabalhar. E a saga para arranjá-lo?? Já liguei para várias casas que arranjam telemóveis e tabletes, mas alguns nem sabem o que é 😡 e outros dizem que não arranjam e que o arranjo ficaria ao preço de um novo.... Acontece que um novo neste momento está completamente fora do orçamento, porque ainda faz algum estrago. Então no que é pensámos?? No meu Querido arranjá-lo 😄 Ele tem muito jeito para tecnologias. E até correu bem a parte de o desmanchar (o ecrã tava assim mesmo po acabado, ganda mocada que ele deu), mas e agora comprar o ecrã?? Já visitamos uns quantos sites, mas além do preço ser um pouco alto (menos do que novo) é o receio que não chegue inteiro e que não seja o indicado. É que já vimos alguns comentários de pessoas em que a coisa não correu lá muito bem. Entretanto imaginem o meu stress, sem Kobo, sem leitura e irritada comigo por o ter deixado cair!! Solução?? Ler no telemóvel.... Foi muito horrível, mas não havia mais nada. Culpa de a pessoa se habituar às novas tecnologias e já não andar com livros atrás nem ter o livro que estava a ler em formato livro. Solução presente?? Um iPad Mini dos primeiros, usado a preço da chuva (negócios do Querido). Leio na aplicação do Kobo, mas não é o mesmo e há coisas que para mim são importantes e que não consigo fazer na aplicação, mas há falta dele é o que há. Lê-se bem, tem um tamanho simpático e vai comigo para todo o lado. Entretanto o Kobo lá está desmanchado, a olhar para mim e eu ainda a pensar no que vou fazer com ele. Aceito sugestões.

E Em Menos de Nada Chegámos a Meio de Janeiro!!

image.jpeg

O tempo passa a voar!! Bom Ano para Todos!! Tenho andado muito atarefada e muito preguiçosa, pelo que não tenho feito nada de doces.... Que vergonha para mim. Até mesmo para a passagem de ano fiz muito pouca coisa. Foram os Coscorões e Azevias de batata doce e gila, Pannacotta de Champanhe e uma Tarte de Chocolate Branco

image.jpeg

.

Este ano a massa para os coscorões e para as azevias, foi cedida por uma colega de trabalho da minha mãe. Muito fácil de fazer e muito saborosa. É ferver banha, aguardente e um pouco de água e depois juntar à farinha. Amassar bem e estender. Deu massa que nunca mais acabava. Mas o sabor é uma coisa sem igual de tão bom. Os recheios para as azevias foram obra da minha mãe. Doce de gila que ela já tinha feito e para as de batata doce foi cozer a batata e juntar chocolate em pó. Estavam assim mega boas. A Pannacotta de Champanhe é uma receita do Blog da<La Dolce Rita/p>

. Ficou super saborosa, mas alguma coisa correu mal, porque parece que se separou. Não sei explicar, mas talvez tenha sido a gelatina. Porque estava tudo bem na parte de cima, mas em baixo estava uma camada de qualquer coisa com cor diferente e textura. Daí eu achar que deve ter sido a gelatina. É bastante fácil de fazer. Hidratar as folhas de gelatina, levar ao lume as natas e o açúcar e quando começar a ferver retirar e juntar as folhas de gelatina bem espremidas, o extrato de baunilha, a raspa de limão e o champanhe. Mexer bem, tapar e deixar repousar 10 minutos. Depois passar por um passador e colocar na ou nas formas. Levar ao frigorífico e pronto. Não consegui tirar foto à Tarte de chocolate branco. Começaram logo ao ataque e em menos de nada desapareceu. Para esta fazem uma base de bolacha e manteiga, colocam na tarteira, forram com papel vegetal e colocam qualquer coisa que faça peso (eu pus grãos) e vai ao forno. Deixam arrefecer completamente e depois começam o recheio. Colocam as folhas de gelatina a hidratar em água bem fria, batem as natas bem firmes, derretem o chocolate branco com umas gotas de essência de baunilha em lume brando e quando estiver tudo bem derretido juntam as folhas de gelatina bem espremidas. De seguida é envolver com as natas, colocar na tarteira e frigorífico. Eu acompanho sempre esta tarte com um molho de chocolate 😋 Já me estou a babar. E assim foram as sobremesas da passagem de ano e ano novo. Lá ver se volto a entrar na rotina.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Goodreads

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D